quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Dificuldades de aprendizagem: que relação com o desenvolvimento da comunicação, linguagem e fala?

Com o início de mais um ano lectivo, não posso deixar de abordar as dificuldades de aprendizagem específicas que preocupam muitos pais e profissionais da área da educação. De acordo com a Associação Portuguesa de Pessoas com Dificuldades de Aprendizagem Específicas , estas dificuldades afectam entre 5 a 10% dos alunos em Portugal (cerca de 75000 crianças).
A natureza das dificuldades de aprendizagem pode ser diversa, aqui vou falar apenas nas alterações ligadas à aprendizagem da leitura e escrita. Neste campo, o desenvolvimento adequado das competências de comunicação, linguagem e fala desempenha um papel fulcral na aprendizagem da criança.
Pensemos numa criança de 3 anos… Os 3 anos marcam um ponto de desenvolvimento essencial e a partir do qual se desenrolam muitas aprendizagens posteriores. É nesta idade que surge a pergunta "porquê?" e que a criança começa a utilizar mais palavras e a qualidade gramatical do seu discurso melhora substancialmente. A criança passa a ser capaz de estabelecer uma conversa coesa e sem problemas, com melhor controlo do discurso e dos aspectos sociais, sendo mesmo capaz de mudar a sua forma de comunicação de acordo com as necessidades do interlocutor (por exemplo modelar o seu discurso ao dirigir-se a uma criança mais pequena). É logo a partir destas idades, na pré-primária, que os pais, educadores e professores, devem estar atentos a sinais que possam indicar futuros problemas de aprendizagem.
São vários os estudos que permitem concluir que as alterações de linguagem, sobretudo fonológicas (ao nível do domínio dos sons da língua), influenciam directamente a aquisição da leitura e da escrita, bem como o desempenho escolar das crianças. Assim, a identificação destas alterações deverá ser o mais precoce possível para que estes aspectos possam ser devidamente trabalhados. A tabela que se segue mostra alguns sinais de alerta que podem indicar futuras dificuldades de aprendizagem.

Tabela 1. Visão integrada das dificuldades de aprendizagem (LOPES, 2002)

Áreas-problema
·         Começa a falar mais tarde que a maioria das crianças.
·         Problemas de pronúncia de palavras.
·         O aumento do vocabulário é lento, às vezes é incapaz de encontrar a palavra correcta.
·         Dificuldades nas rimas.
·         Dificuldade na aprendizagem dos números, alfabeto, dias da semana, cores, formas.
·         É uma criança muito irrequieta e que se distrai facilmente.
·         Problemas no relacionamento com os colegas.
·         Dificuldade em seguir instruções ou rotinas.
·         Desenvolvimento lento das competências motoras finas.
Avaliação
·         Prognóstico de alto risco em relação a problemas futuros de aprendizagem.
Tipos de tratamento ou intervenção
·         Preventivo
Tratamentos ou técnicas que têm recebido mais apoio dos peritos ou que têm sido mais estudadas
·         Ensino directo nas áreas escolares e de linguagem
·         Técnicas de controlo do comportamento
·         Treino dos pais


O importante é responder precocemente a casos de risco para futuras dificuldades de aprendizagem e essa resposta deve ser dada por uma equipa multidisciplinar, que inclua os pais, os educadores e outros profissionais de educação e saúde. Nesta equipa é essencial a participação de um Terapeuta da Fala que é o profissional legalmente habilitado para intervir, tanto preventiva, quanto terapeuticamente nos casos de alterações de comunicação, linguagem e fala.